Acumuladores Craft

Tenho uma certa angústia com acúmulos. Coisas compradas para usar depois, para um dia quem sabe, para momentos especiais, para projetos futuros.

Sempre vi com maus olhos quem tem um monte de roupa, peças com etiqueta ainda, algumas esperando um evento, outras esperando a combinação perfeita.

Aquelas penteadeiras cheias de produtos, alguns dentro de embalagens ainda, filas e filas de cores de batom para acabar usando sempre os mesmos dois. Máscaras de cílios de todos os tipos, produtos secando e acumulando sem uso.

Não sou santa não, tenho meus acúmulos, uma ou outra peça que comprei achando que combinaria e em casa já não gostei mais, paletas de maquiagem de quando eu trabalhava com isso, já tive a gaveta de esmaltes cheia e tenho uns 2 ou 3 projetos inacabados.

Mas quando vejo gente mostrando o atelier, caixas e caixas paradas de materiais tenho um pequeno siricutico. Para quem borda, ter os fios mais usados para reposição é uma mão na roda, sem dúvidas. Para quem trabalha com crochê e tricô, ter vários novelos parados não ajudam em nada, considerando que se um projeto for maior, vai faltar e como comprar um igualzinho?

Mas o que mais me dá angústia mesmo é ver gente cheia de material parado e falando em comprar mais, comemorando chegada de caixas novas. Minhas últimas 3 idas ao armarinho cheguei a pegar uma lã que estou apaixonada para então pensar em um projeto. Devolvi à prateleira antes de ir ao caixa porque ainda não tinha o projeto, então não saberia nem quantos novelos comprar.

Sem falar que uma vez ao ano faço limpa em casa. Roupas paradas ou que já estão desintegrando de tanto uso já vão para doação. Esse ano fiz a limpa nas maquiagens, pincéis gastos e velhos. Toda vez que vou pegar esmalte para as unhas vejo um seco e já tiro para descarte. Arrumo meus materiais a cada dois meses, assim me lembro de algo que tenho parado caso tenha alguma ideia nova.

Em minha última arrumação fui tirando as coisas de sacola e era basicamente lixo no meio de dois novelos, sacolas dentro de sacolas, etiquetas de novelos usados, notas, pontas de fio, recorte de tecido. Um horror de acúmulo e coisas paradas.

Quanta energia presa sem necessidade. Desde que comecei a trabalhar oficialmente com o bordado fui aprendendo muito sobre meus materiais, ainda mais quando não tinha um canto só para isso. Se não temos espaço, não conseguimos acumular, se acumulamos, não conseguimos trabalhar.

Em um dos livros do Austin Kleon sobre criativos, ele fala que nós não podemos ser completamente desorganizados porque atrapalha, mas uma baguncinha organizada é boa. Simplesmente por tirar um tempo para arrumar e fazer limpa e no meio disso surgir um projeto, uma ideia. Ainda mais que recorremos a essa ferramente quando a criatividade está tendo dificuldade para tomar forma.

Então aqui está, um texto sobre acúmulos, produtos parados sem lugar na fila de projetos. É sobre energia acumulada, é sobre repensar o consumo!