top of page

O Natal vai mudando...

Atualizado: 28 de mar. de 2023

Eu sempre amei Natal, muito! Desde criança, e sigo amando agora adulta. Mas como tudo na vida, esse gostar muda. Quando criança eu amava estar com meus primos (minha família é grande), brincar o tempo todo, ter a família toda em volta da árvore a noite celebrando, rindo, presenteando. Depois dos presentes, curtir o que cada um ganhou, ver de perto cada presente, cada brinquedo. Depois, no dia seguinte, todo mundo estar junto novamente para o almoço. Conforme fui crescendo, continuei amando, mas todos estavam crescendo, não se reuniam todos mais, eu percebia algumas tensões nos preparos das comidas, nos presentes entregues pra pessoa errada, a pressa pra noite encerrar para alguns, olhares feios pra quem estava embriagado e inconveniente. Fui muito privilegiada na infância e sei bem disso.

E mesmo sentindo toda essa tensão e quebrando um clima que sempre foi tão gostoso pra mim, eu continuo amando a época de Natal. Amando mais ainda quando passei a dar meus toques na minha casa, decorar cada canto, comprar um item a mais todo ano pra aumentar a coleção de decoração, colocar luzinhas praticamente em todos os cômodos. Amando pensar nas comidas que poderia preparar pra quem eu amo.

Mas percebi que para muitos da minha geração, o encanto não era igual, conforme os anos foram passando, o encanto também passou. E isso inclui meu marido, que não liga pra decoração, ver as luzes da cidade e pequenas tradições. Até que um dia fui explicar a ele, porque ele tinha comentado da falta de vontade e clima. E a conclusão que cheguei é que pra mim, o Natal não é dia 24 e 25 de dezembro, mas o mês todo, pra mim, ele começa a partir do dia que começo a colocar as decorações pela casa. Colocar uma playlist pra tocar enquanto vou retirando cada item da caixa e escolhendo onde colocar. Da noite de sentar e assistir algum filme clássico de Natal. De ir assistir alguma apresentação. De preparar alguma comida que gosto muito e é saudosa. De criar momentos com pessoas que me sinto a vontade, dividir essa alegria sabe? Pra mim, é a experiência da época que vale a pena.

Então, mesmo que alguns encontros sejam necessários (quase obrigatórios) porém tensos ou desconfortáveis, eu aproveito o mês todo, criando momentos. Assim, a época continua sendo bonita e prazerosa, não esperando por um momento específico, mas criando várias pequenas situações, criando memórias e tradições que sejam importantes para mim.


Então se você aí também gosta do clima, mas não exatamente dos compromissos pontuais, crie os seus momentos. Faça celebrações com quem gosta, decore o seu quarto, procure uma apresentação na sua cidade, pode ser da escolinha de ballet ou de um coral de idosos. Encontre pessoas que ama e crie sua celebração. Faça a sua época de Natal!

Comments


bottom of page