top of page

Atenção: Costureira iniciante

Atualizado: 25 de ago. de 2023



Eu sempre quis costurar, ou melhor, não lembro bem há quanto tempo tenho essa vontade. Criança eu pensava que seria incrível poder fazer as roupas mais lindas de festa para as minhas Barbies. Eram caras, mesmo na feirinha e eu não podia ganhar uma roupa nova pra elas sempre.

Depois de um tempo comecei a querer fazer minhas roupas, primeiro porque a grana sempre foi curta em casa e segundo porque eu tenho um estilo muito básico pra fast fashion e roupas mais baratas. Nunca fui de recortes, estampas, babados ou o que tá na moda. Eu sempre gostei de roupas que vão valer a compra e vou poder usar por anos e em todas as estações.

Mas a verdade é que nunca cogitei a costura. Nem passava perto da minha cabeça, não sei se por não ter incentivo ou por não ter ninguém como referência que eu via produzindo e criando peças. Depois, mais velha, que eu pensei na possibilidade de realmente ter uma maquina de costura e estudar, a cabeça já é outra, e como todo adulto, coloquei várias coisas na frente e me dava várias desculpas por não procurar esse estudo.

Quando ganhei a máquina da vó do Gui a primeira desculpa foi: a maquina é velha, não vou conseguir aprender a usar. Depois eu dizia que eu não queria só aprender a costurar na máquina, eu precisava aprender a lidar com os perrengues e isso na minha cabeça era impossível. E se ela der problema? Tem que ficar levando pra assistência o tempo todo. Ah não.

Mas a verdade é que a vontade foi ficando cada vez mais forte. Comecei a ter ideias de coisas que poderia produzir pela Bem Mimosa, ideias de coisas pra fazer pra casa e que custam caro e eu acho que conseguiria fazer. E roupas, a vontade de produzir minhas roupas básicas e atemporais foram ficando cada vez maiores.

Meu primeiro problema e que preciso exercitar o tempo todo é a vontade de ser profissional antes mesmo do primeiro ponto. Tenho essa mesma vontade com violão, sempre quis aprender, mas a verdade é que nunca quis aprender o abecedário, sempre quis já poder pegar um violão e dedilhar livremente, quase que meditando, mas produzindo um som lindo. Nunca quis ficar treinando aquelas músicas básicas que contam com o mesmo acorde e ninguém aguenta mais. E foi assim que nunca fui atrás de estudar violão.

Me permitir ser uma completa leiga e analfabeta na costura seria essencial. Dedicação e estudo seria ainda mais essencial, porque tenho hábito de ver uma aula e achar que já sei tudo e já posso ir fazendo. Sou bastante auto didata em coisas que sinto uma familiaridade. Mas coloquei a costura como um novo idioma, que pra algumas pessoas pode ser "só fazer", "é super fácil", eu queria realmente me dedicar a ser boa, não fazer de qualquer jeito ou só por fazer. Eu queria realmente pegar um molde e entender o processo, fazer peças duradouras. Tipo aprender o idioma e praticar bem a pronúncia pra não carregar no sotaque. E é isso que sigo me dedicando.

Cheguei a olhar curso que teria aulas semanais em local fixo. Seria uma opção. E então consegui me inscrever em um online que tem uma didática incrível, o começo é cheio de exercícios de pedal, no papel sem linha e com linha, depois exercícios de todo tipo no tecido. Comecei as aulas na máquina antiga, mas senti a necessidade e tive a oportunidade de investir em uma nova. Sei que máquina velha é muito melhor, mas por não ter manual, por não funcionar o visor de ponto, eu tinha que ver uns 3 vídeos com máquinas quase iguais pra entender como usar ela (toda vez que esquecia os primeiros passos).



As fases são em peças de roupa, mostrando cada detalhe, acabamento, cada tipo de costura e cuidado, as diferenças... Algumas peças eu só assisti aos vídeos das aulas porque eu não queria a peça, não é realmente meu estilo, mas assisti tudo por ter tanto detalhe, ser tão didático. Agora estou fazendo uma peça completa, com franzidos, canaleta pra elástico, todo tipo de costura e ainda terá botões no final.

E na verdade só não estou fazendo mais peças porque as do curso não fazem meu estilo, algumas até fazem, mas não tive vontade. Tenho procurado na internet modelos que eu realmente goste e o maior empecilho têm sido a cotação, porque eu só tenho gostado de modelos prontos vendidos em dólar e em euro. Vejo umas gratuitas, mas desenhadas a mão, sem tamanho, sem a receita básica pra iniciante aqui. Ainda não sei modelar pra poder trabalhar no meu tamanho que não é padrãozinho.

Mas tem sido uma aventura incrível o aprender, exercitar, tirar um tempo, buscar modelos que eu possa costurar. Vivo errando e sabendo que é iniciante ou nem tanto. Compro tecido e esqueço que preciso de linhas na cor. As vezes começo a costurar mas esqueço de descer o pé da máquina. Sei que sou bem ruim em cortar tecido ainda e preciso me dedicar ao corte porque acho realmente chato e é muito fácil perder a mão e querer fazer de qualquer jeito. Algumas partes das aulas preciso assistir várias vezes pra entender, outras coloco em uma velocidade mais alta porque não tenho paciência pra explicação lenta (sei que é pra entender bem e tem gente com mais dificuldade).

Sou iniciante e tenho orgulho, erro e dou risada, as vezes erro e fico brava, deixo de lado pra voltar depois menor irritada. As vezes erro com a máquina e paro pra respirar pra lidar com o embolado de linha com calma. Tá sendo um processo lindo mesmo e eu estou me divertindo no caminho e me orgulhando de cada pequena evolução.

Comments


bottom of page