top of page

A exposição na internet faz sentido?


Pra quem não sabe, eu estou na internet tem muitos anos. Tive blog e fotolog na adolescência, daqueles ativos, que postava sobre a vida, fotos, relatos, blog raiz mesmo sabe, bem diário? Depois de alguns anos decidi resgatar o ato de ter um blog, mas dessa vez com coisas mais profissionais, coisas que eu gostava de fazer, escrever o que me dava na telha, falar da vida, de maquiagem, de receitas, de decoração e DIY. Esse blog durou mais de 8 anos, tive muito acesso mesmo, tudo orgânico, e eu nunca soube fazer a parte comercial e não tive aquela sorte de viralizar pra ser vista e alcançada por marcas. No final eu já não tinha mais energia pra criar conteúdo, muita coisa perdeu o sentido e o histórico dele já não era quem eu era mais. Eu voltava alguns posts e não conseguia me ver naquilo mais.

Com o passar do tempo até mesmo postar uma foto no Instagram perdeu o sentido, postar com frequência nos stories também. Essa exposição toda, ter gente ali acompanhando cada passo, cada lugar que fui, de achar que sabe sobre minha vida, meu bem estar, acompanhando os poucos segundos do meu dia.

Mas não era só sobre mim, eu cansei do formato e passei a questionar o que via da vida dos outros sabe? Se era tudo muito lindo, festa, eventos e perfeito, duvidava, se só reclamava e mostrava a bagunça da vida, tristeza, cansava porque afinal de contas queria me entreter e não ficar vendo só problema. É de se pensar que a pessoa tá feliz da vida, precisa mesmo registrar cada minuto e mostrar pro mundo? E se não está bem, está chorando, a primeira coisa que pensa é pegar o celular e mostrar as lágrimas e desabafar com o mundo?

É exposição desgovernada. E sim, a internet é sobre exposição, mas não precisa ser enquanto vive, dá pra viver, aproveitar, sentir e só depois postar o que lembrou de registrar. Dá pra passar por um momento delicado e difícil dividindo só com as pessoas que realmente te querem bem. Avaliamos muito melhor depois se é necessário mesmo postar todos os registros feitos, ou se pode ajudar alguém, criar alguma identificação. Vivemos muito melhor quando não estamos pensando em postar tudo, escolhendo os melhores momentos, o melhor ângulo.

Já tem algum tempo que comecei a registrar minha vida, gravar pequenos vídeos só pra mim. Recortes do meu dia pra recordação. Mas sem postar e gastar tempo escrevendo legenda, conferindo likes e comentários. Isso tem feito muito mais sentido pra mim. Porque cresci em uma casa que sempre registrou tudo, temos várias fitas com filmagem da família, momentos registrados pra rever anos depois. Romantizo minha vida quando posso, uma luz bonita que entra em casa, as folhas das minhas plantas dançando, a mesa posta, a chama da vela dançando, uma manhã de domingo, um drink fora, um por do sol... eu amo registrar a vida, amo observar tudo. Mas não tenho mais urgência em publicar. Tem dias que me sinto mais reclusa, tem dias que a vida é muito básica, tem momentos lindos que prefiro guardar só com quem esteve junto, tem dias que mesmo na rotina escolho expor algo interessante que aconteceu, que vi, que presenciei.

Hoje é sobre escolher o que coloco no mundo e que momento mostro.

コメント


bottom of page